segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Quando a gente lhes fala...



Quando a gente lhes fala de um novo amigo, as pessoas grandes jamais se interessam em saber como ele realmente é. Não perguntam nunca: "Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que preferem? Será que ele coleciona borboletas?" Mas perguntam: "Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?" Somente assim é que elas julgam conhecê-lo.

[Saint-Exupéry in: O Pequeno Príncipe]



"Então não o ama mais?
- Amo. Só guardei isso num cofre. E tranquei. E esqueci a senha.
Não porque quis. Foi preciso."

Caio F. Abreu

Me queira humana...



Acho que merecemos alguém que não desista da gente tão fácil. Alguém que nos queria de todos os jeitos... Alguém que aceite nossas loucuras e, que ache até uma certa graça nelas. Alguém que nos queria por inteira, e que não abra mão nem dos nossos defeitos. Alguém que nos ame imperfeitas, humanas, in-tensas. Alguém que não nos peça pra deixar de ser o que somos. Acho a imperfeição linda, se não houvesse a imperfeição que outra coisa haveria? Ser imperfeita torna o meu dia mais leve -in-tensamente leve- e até engraçado, me faz lembrar que sou humana, originalmente humana.